terça-feira, 26 de março de 2013

A BASE BÍBLICA DA BATALHA ESPIRITUAL



     Na segunda lição desta série de estudos (31/03/2013), veremos os fundamentos bíblicos da Batalha Espiritual.  A ministração estará por conta de Mario Hermes, membro do conselho de Ensino da ORLASG.


     Creio que uma das dificuldades que encontramos para discernir a verdade das Escrituras Sagradas sobre um tema determinado é que nos condicionamos a uma leitura bíblica viciada, repetitiva e comprometida em apenas nos mostrar aquilo para o que fomos programados.  O desafio é fazermos uma releitura da Palavra a partir de outras perspectivas e com a mente desarmada e aberta.  A compreensão da base bíblica da Batalha Espiritual se tornará muito mais nítida a partir desta qualidade de leitura.
     Na verdade, a pressuposição geral tanto no Velho quanto no Novo Testamento é que a terra é virtualmente engolfada por forças cósmicas de destruição, e que o mal e o sofrimento são sempre resultados do ataque diabólico.  Embora Deus muitas vezes dê permissão ao Diabo para promover o mal e o sofrimento no mundo e na vida das pessoas, é importante afirmar que Deus mantém o controle e a autoridade sobre todas as coisas e, sempre tem um propósito bom, mesmo quando dá tal tipo de permissão (veja Jó, capítulo 1).
     Jesus mais centralmente definiu a si mesmo e seu ministério em termos de agressivamente avançar contra o reino de Satanás.  Ele e seus discípulos reconheceram que Ele veio para destruir o mal e seu trabalho, e redimir seu povo do reino das trevas e libertá-los para o Reino de Deus. Todo o ministério de Jesus – suas curas, ensinos, libertações, morte e ressurreição – tem como temática essa Batalha Espiritual culminando com a vitória final.
     Afirmações gerais sobre Batalha Espiritual
     Diante de um tema tão polêmico, e essencial que se estabeleçam algumas afirmações básicas a fim de criar os parâmetros para toda a nossa reflexão.  Infelizmente, alguns mitos se formaram com relação à Batalha Espiritual que precisam ser contestados.  Só a Palavra de Deus pode desfazer os mitos e equívocos e estabelecer a verdade.
- Em primeiro lugar, a Batalha Espiritual é uma realidade cada vez mais inevitável, da qual nenhum cristão está imune ou isento
   Consciente ou não, todo discípulo de Jesus está implicado nesta Batalha e tem de preparar-se para a mesma.  Seria uma ingenuidade pensar que o simples fato de não acreditar na realidade da Batalha Espiritual, ou não estudar sobre o tema, pudesse livrar alguém de enfrentar tal verdade.
     Um dos mitos que se formaram em nosso meio é que se a gente não mexer com o inimigo, ele não nos incomoda, nem à igreja, nem à obra de Deus.  A verdade é que o simples fato de buscarmos a Cristo e vivermos em santidade já é um desafio a Satanás.  Ele só não incomoda nem perturba as pessoas que já estão sob seu domínio.  Evidentemente, porque já se apossou de suas vidas e faz delas o que deseja.
     Em I Pedro 5.8, lemos: “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a que possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre vossos irmãos no mundo”.
     O próprio Senhor Jesus enfrentou a Batalha Espiritual contra Satanás quando esteve aqui na terra.  Durante todos os dias di Sua peregrinação entre nós, o Senhor teve de batalhar contra o inimigo.  Uma das situações clássicas em que isto aconteceu foi o episódio da tentação no deserto, logo após o batismo do Senhor, quando Ele se preparava para iniciar o Seu ministério.  O fato está registrado em Mateus 4.1-11.  Estudar aquele texto com atenção trará ajuda importante para a compreensão da natureza da Batalha Espiritual, das artimanhas do maligno e da estratégia do cristão para confrontá-las.
- Em segundo lugar, é importante afirmar a finitude do diabo e dos seus anjos
   Ele não está em pé de igualdade com Deus.  A Bíblia não apresenta a contenda espiritual dentro da mesma perspectiva da religião persa, a qual entende um conflito eterno entre o bem e o mal com forças equivalentes.  Não é nestes termos que acontece a Batalha Espiritual.  O diabo já está derrotado e seu temo de ser impedido já está determinado por Deus, o Soberano Senhor da historia e do universo.
     O mito é que o diabo luta em igualdade de forças com Deus.  Na verdade, o diabo não é onisciente, onipresente nem onipotente.  Estas três expressões só se aplicam ao Deus Todo-Poderoso.  São expressões exclusivas de Deus, isto é, revelam que Ele é o único nos atributos de saber todas as coisas, estar em todos os lugares ao mesmo tempo e poder todas as coisas.  Algumas pessoas agem e reagem diante do diabo como se ele tivesse também tais atributos.  Na verdade, ele tenta dar esta impressão na medida em que comanda sua rede de demônios e assessores satânicos.
     Em Apocalipse 20.10, lemos: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre”.
- Em terceiro lugar, precisamos afirmar categoricamente a eficácia absoluta da cruz de Cristo
   Em Colossenses 2.13-15, a palavra de Deus afirma: “E quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E despojando os principados e potestades, os expôs pubicamente e deles triunfou em si mesmo”.
- Em quarto lugar, afirmamos a nossa posição em Cristo Jesus
   Neil Anderson, em seu livro “Quebrando correntes” declara que este é um dos temas mais presentes no Novo Testamento: a nossa posição de autoridade em Cristo Jesus.  Leia Efésios 1.1-23; 2.6; 3.10.  Pelo sacrifício de nosso Salvador na cruz do Calvário, e mediante a fé que     nEle exercemos, estamos assentados nos lugares celestiais em Cristo e nos é dada autoridade, em nome de Jesus, para derrotar Satanás e suas artimanhas contra nós.
     A própria Grande Comissão ordenada pelo Senhor Jesus é uma afirmação desta autoridade.  Em Mateus 28.18-20, Ele diz: “É-me dada toda autoridade nos céus e na terra.  Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações”. Logo a ação missionária da igreja é realizada a partir da autoridade suprema do Senhor Jesus Cristo sobre todas as forças do universo.  Quando pregamos o evangelho, temos esta autoridade de Cristo a sustentar-nos e garantir-nos que a obra ordenada por Ele seja realizada.
- Em quinto lugar, afirmamos a nossa vitória em Cristo Jesus
   O diabo já está vencido  -  não somos nós que vamos lutar para vencê-lo.  O Senhor já derrotou Satanás e é o mesmo Senhor quem lutará por nós para consolidar a cada dia a nossa vitória, fundamentada na vitória dEle.  Só temos de reivindicar a vitória de Jesus.  Veja Romanos 8.31-39 e Apocalipse 12.10-12. Estes e muitos outros textos bíblicos afirmam a nossa vitória em Cristo Jesus.  Portanto, vamos avançar, viver segundo a vontade de Deus e tomar os domínios do inimigo, certos de antemão de que somos mais que vencedores.
     A Batalha Espiritual é uma realidade.  Não podemos evitá-la.  Estamos implicados nela, queiramos ou não.
     A natureza desta batalha é basicamente espiritual e não se dá contra a carne ou sangue, isto é, nossos inimigos não são pessoas, mas os poderes espirituais da maldade.  Embora entendamos que há  dimensões desta batalha no nível de nossa vida cotidiana.
     A resistência do diabo e de suas hostes espirituais está relacionada basicamente com a tentativa de impedir o avanço do Reino de Deus e da pregação do evangelho.
     Cada cristão precisa estar revestido e equipado com a armadura celestial providenciada por Deus para enfrentar esta batalha contra o reino das trevas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade... Não tenho restrições quanto às criticas, entretanto faça com educação e respeito!!!