sábado, 30 de março de 2013

"AS VÁRIAS DIMENSÕES DA BATALHA ESPIRITUAL"

     Lição a ser ministrada em 14 de abril.
 

     Nesta lição, vamos considerar as esferas em que se trava a luta contra as hostes da maldade, e, ainda, as expressões mais nítidas deste sistema satânico na sociedade e no mundo.

- A dimensão cósmica – na eternidade e na história da salvação

    Se analisarmos as Sagradas Escrituras, constataremos que Satanás foi originalmente um anjo, criado por Deus para honrar ao Seu Criador e servi-lo.   Mas, aquele que se chamava Lúcifer se insurgiu contra o Todo-Poderoso e quis usurpar-lhe o trono e o governo sobre todo o universo.  Por causa disto, Deus o expulsou dos céus.  Com ele insurgiram-se outros anjos que o acompanharam em sua queda.
     Desejamos discutir as várias dimensões em que o reino das trevas afeta uma comunidade e estabelece as suas fortalezas, escravizando pessoas e povos e condicionando-os aos seus valores perversos e deteriorados.
     Geralmente, os povos convivem com tais valores sem reagirem aos mesmos porque lhes parecem muito naturais e legítimos.  Esses valores são aceitos, celebrados e preservados através da música, do folclore, da arte cênica, do cinema, da televisão, da pintura, das artes plásticas e dos hábitos das pessoas.  São transmitidos às novas gerações através da educação nas famílias e dos currículos escolares.  São celebrados como normais de modo que o estilo de vida das pessoas se orienta pelos mesmos.  Mais que isto, as leis passam a legalizar tais aberrações e dar-lhes um caráter de oficialidade.  Resistir a tais valores ou combatê-los passa a ser considerado como atitude preconceituosa e hostil.  Logo, a performance profética da igreja é repudiada e gera antipatia.  Ser uma igreja relevante em uma sociedade assim é um desafio enorme.  Mas, é a vontade de Deus.  E, implica em grande tensão espiritual e até social.  Refiro-me a valores, hábitos e práticas de uma determinada sociedade que a Bíblia repudia e condena, tais como: a idolatria, a feitiçaria, a corrupção, a opressão das classes menos privilegiadas, o adultério, a imoralidade, a violência, o consumo e tráfico de drogas, o suborno e outros tantos.  Há sociedades que estão submersas em maior ou menor grau a estes males, algumas há centenas ou milhares de anos.  Libertar as pessoas e culturas destes valores pervertidos é tarefa difícil.

- A dimensão histórica

   Outra dimensão em que a atuação maligna se desenvolve de modo ativo é a histórica.  O missionário que entra em uma determinada cultura precisa buscar conhecer um pouco da história daquela comunidade.  A história denuncia muitas das forças que estão atuando ali.  Há situações recorrentes e repetitivas.  Alguns tipos de vícios se tornaram crônicos.  Líderes públicos, por exemplo, têm sido mensageiros do mal através da história. 

- A dimensão cultural

  Quanto mais tempo o evangelho se demora para adentrar uma determinada cultura, mais esta cultura é afetada pelas conseqüências do pecado e pelos valores do reino das trevas.  Ao longo de centenas e até milhares de anos, o reino de Satanás estabelece suas fortalezas e cristaliza suas influências em uma determinada cultura.  Naturalmente, o inimigo se posiciona como se fora senhor definitivo daquele povo e resiste a qualquer ameaça contra sua hegemonia ali.  Tal resistência representa intensidade na Batalha Espiritual que os cristãos terão que enfrentar.  Um dos fatores dificultadores da Bata lha Espiritual na dimensão cultural é que os valores celebrados naquela comunidade se tornam tradicionais e são interpretados pelo povo como fatores inalienáveis de sua identidade e indispensáveis à preservação da sua unidade e sobrevivência.  Logo, contestá-los representa ofensa e muitas vezes esbarram em impedimentos legais estabelecidos para preservar aquela tradição.  Exemplos disso podemos encontrar em comunidades nas quais a cultura e o folclore celebram a idolatria, a feitiçaria, o animismo, a prostituição, o homossexualismo e a corrupção. 

- A dimensão social

   Não há dúvidas de que o império das trevas afeta o nível social da vida dos povos nos quais se estabelece.  A miséria, o analfabetismo epidêmico, a opressão que classes sociais privilegiadas impõem sobre outras, a impunidade estabelecida e institucionalizada, e outros males sociais, constituem formas perversas de Satanás estabelecer seu poder sobre povos, nações e comunidades.  N realidade, não me refiro neste sentido à pobreza, ao analfabetismo simplesmente ou a situações de limitação social e econômica.  Tais situações representam contingências desta vida e não significam nem o abandono de Deus, nem o domínio do diabo.  Refiro-me à exageração destas condições e ao seu estabelecimento de modo epidêmico e opressor, como condições que sintomatizam o império das trevas e do pecado, isto é, conseqüências diretas da desobediência a Deus.

- A dimensão pessoal
    Temos de analisar também a dimensão pessoal da Batalha Espiritual em seus vários níveis: espiritual, mental, emocional, moral, físico e dos relacionamentos, familiar e da igreja (II Coríntios 2.10-11; 10.3-6).  Vamos considerar estes aspectos de uma forma mais detida em um dos próximos capítulos. 
- A dimensão familiar    Não podemos desconhecer que uma das áreas prediletas para os ataques do inimigo é a família.  É fácil entender: em seu plano de estabelecer seus valores apodrecidos e deteriorados no mundo, é estratégico atingir os valores e as instituições básicas da sociedade – o casamento, o lar, a família, a fidelidade conjugal, a harmonia familiar, a autoridade paterna e materna saudável, o senhoria de Cristo na família.  Na medida em que o inimigo enfraquece tais valores, torna-se mais fácil para ele estabelecer na sociedade como um todo a prostituição institucionalizada, a violência, o tráfico de drogas, o alcoolismo, o desrespeito às autoridades, o crime organizado e outros males sociais que proliferam livremente em uma sociedade dominada por valores morais e éticos deteriorados.  Não é difícil entender então a campanha sistemática que a mídia, o pós-modernismo e outros segmentos satanizados da sociedade fazem no sentido de desmoralizar a instituição familiar, desdenhar do casamento e ridicularizar a pureza moral e fidelidade conjugal.
AS VÁRIAS FORMAS DE EXPRESSÃO DAS TREVAS NA SOCIEDADE
- O Satanismo
    Em 1999, pregando no púlpito da Primeira Igreja Batista de Fort Lauderdale, na Flórida, o Pastor Larry Thompson abordava a questão do satanismo, numa série de mensagens sob o tema “Face a face”.  Afirmava que a igreja de Satanás cresce mais rapidamente que qualquer outra denominação religiosa nos Estados Unidos, à exceção de uma denominação evangélica e uma religião não cristã.  Denunciava ser o mais intenso crescimento de uma organização religiosa entre jovens e adolescentes.  Tais índices podem ser bastante semelhantes em muitas outras partes do mundo. As pessoas que estão envolvidas com satanismo têm aparência comum, vestem e trabalham normalmente e podem passar desapercebidas no meio de uma multidão.  Então, para estupefação de todo o auditório que o ouvia naquele domingo pela manhã, o Pastor Thompson afirmou textualmente: “há pelo menos três membros da igreja de Satanás entre nós nesta manhã”.  Ele se baseava em estatísticas e denunciava a estratégia deste movimento satânico de infiltrar-se no meio dos cristãos para causar estragos e enfraquecer a igreja do Senhor.  Não creio que devamos menosprezar estes dados e discernimentos.

- As Heresias

    Uma outra estratégia do reino das trevas é espalhar seitas e falsas doutrinas no seio das igrejas evangélicas.  Vivemos um tempo em que a sociedade se inclina fortemente para o misticismo e o esoterismo.  E, lamentavelmente, o veneno do misticismo tem influenciado a teologia de muitas igrejas evangélicas contemporâneas.  Normalmente, esta infiltração acontece de maneira muito sutil.  São modismos teológicos e doutrinários, as teologias de novidades.  Precisamos ser muito cuidadosos com relação a isto.
    Neil Anderson afirma: “Você perde a liberdade quando aceita acreditar em uma mentira ou praticar algo sobre o fundamento de uma mentira”.  Sobre este assunto, leia Atos 8.5-25, que conta a história de Simão, o mago, que enganava as pessoas com suas falsas doutrinas na região de Samaria, e quando ouviu o evangelho, pensou em simplesmente misturar a doutrina da Palavra de Deus à sua prática pagã.  Foi severamente repreendido por causa disto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade... Não tenho restrições quanto às criticas, entretanto faça com educação e respeito!!!